Sitemap

Navegação rápida

Marnie e Morgan anunciaram a sua chegada à minha porta da frente da maneira habitual com Morgan cantando: "Avô, estamos em casa".Eu sorri da minha cadeira fácil, virando-me para olhar para os melhores amigos vestidos de forma idêntica.O Morgan tentou desaparecer, deixando-me a mim e à Marnie sozinhos.

"Aguenta-os, gatinha".Eu disse. "Porque é que não ficas por aqui. Fica connosco. Eu sei que nos vais observar de qualquer maneira. Mais vale sentares-te aqui e teres um lugar na primeira fila."

Morgan corou, percebendo que eu a tinha visto ontem enquanto ela observava o seu BFF e a mim no meio da paixão.Ela se enfiou em uma cadeira do meu lado, enquanto Marnie caminhava e plantou um beijo molhado na minha boca, enquanto a mão dela ia direto para a minha virilha.Em troca, eu cobri uma mão por baixo da saia dela a acariciar o rabo dela. "Vai com calma com ela, Grey. Ela não tem um velho talentoso e sujo com quem brincar."Ela aliviou as cuecas, enfiando-as debaixo do meu nariz, acrescentando: "Estive a pensar em ti o dia todo, à espera disto."

Inspirei o cheiro almiscarado dela, a minha pila a contorcer-se em antecipação. "Cheiras tão bem quando estás excitado." Amassei-lhe as bochechas do rabo enquanto ela se sentava no meu colo.

"Diz-me qual foi a coisa preferida da Sarah para te fazer, Grey."Ela aterrou-se no meu colo enquanto desabotoava a blusa.

Enfiando meu rosto em seu decote, eu respondi: "Ela adorava me dar uma vantagem". Uma e outra vez, até o meu pénis ter exsudado".

Ela começou a moer com mais força enquanto segurava a minha cabeça aos seus seios levemente perfumados. "Agora, lembra-te Grey, não te venhas sem permissão. Se o fizeres, terei de me ir embora."

"Sim, Senhora Marnie".Eu murmurei-lhe no mamilo.Olhando-a nos olhos, eu acrescentei, "Você pega rápido para um tão jovem e inexperiente."

"Eu tive um excelente professor." Ela levantou-se do meu colo e instruiu-me a tirar as minhas calças e boxers.Eu cumpri.

"Ei, Morgan! Olha para esta pila." Ela disse à amiga: "É tão grande e dura."

Eu olhei de relance para a minha neta, as pernas dela jogadas e a mão dela no fundo da calcinha, os dedos dela trabalhando a cona dela enquanto Marnie sentava no meu colo novamente.Desta vez a minha pila sentou-se ao longo da sua fenda e ela rolou os quadris, deslizando a rata ao longo do seu comprimento.Há muito tempo que eu não sentia isto e era maravilhoso ter o seu calor húmido a estimular tanto o meu pau como o meu cérebro.

"Quero que me digas mais, Grey"

"Sarah sempre me faria descrever uma cena em detalhe onde eu ejacularia profundamente na sua cona. Ela queria-me o mais excitado possível, negando-me a libertação no último momento."

"Diz-me o que me queres fazer. Se eu gostar o suficiente, talvez te deixe fazer isso."Ela continuou a deslizar a rata contra a minha pila dura, conduzindo-me lentamente para um orgasmo.

"Bem"...Eu disse, lembrando nossa conversa de alguns dias atrás: "Desde que nenhum homem jamais foi agradado pela sua piça. Eu quero levar a tua cereja. Quero comer-te até me vires a cara toda. Fazer-te implorar por ela. Não só para foder essa linda cona adolescente, mas para te vires nela. Lá no fundo, deixando o meu rasto a pingar pelas tuas coxas."

Neste momento, Morgan começou a gemer, alcançando seu próprio clímax enquanto nos observava e ouvia tocar. Quando terminou, a Marnie pediu-lhe as cuecas.A Morgan hesitou, um olhar confuso na cara dela. "Faz isso, rapariga!"A Marnie pediu.A Morgan cumpriu, entregando-as à amiga dela. "A tua cona cheira tão bem", disse ela.E ela acrescentou: "Não achas, Grey?"

Antes de eu poder responder, a Marnie enfiou a roupa húmida na minha boca.Cheirar e provar a minha neta levou-me imediatamente ao limite.Eu murmurei um aviso através das cuecas.A Marnie levantou-se, apertou a base da minha pila. "Ainda não!", disse ela com firmeza.Um sorriso maligno estourou no rosto dela. "As cuecas da Morgan não sabem bem?"

Todas as categorias: Tabu