Sitemap

Navegação rápida

Depois de um fim-de-semana sem companhia, a Marnie apareceu depois das aulas na segunda-feira.Ela apareceu com a minha neta, que imediatamente se desculpou, dizendo que tinha uma final para preparar. Para ser sincero, parte de mim ficou desapontada por Marnie não ter vindo sozinha, já que a presença de Morgan iria colocar um obstáculo nas coisas.Ou, era o que eu pensava. A Marnie sentou-se à mesa da cozinha e pediu-me ajuda com os trabalhos de casa de álgebra dela.Eu concordei, a andar atrás dela, a olhar por cima do ombro dela.Para minha surpresa, hoje ela não tinha sutiã, deixando-me ver aqueles seios pontiagudos e deliciosos, cobertos por mamilos inchados.Ela pegou na minha mão e enfiou-a pela blusa abaixo. "Eles precisam de mais atenção do que a minha álgebra, Grey", disse ela com aquele sorriso malicioso.Ao mesmo tempo, a outra mão dela estava ocupada a voltar para trás e a acariciar a protuberância crescente nas minhas calças.

"Marnie, não podemos estar a fazer isto! O Morgan está na sala de estar, por amor de Deus".Eu disse puxando a minha mão, relutantemente, do seu tenro peito enquanto escovava a sua mão da minha virilha.

"Ela não se importa", disse ela.

"Quer dizer que ela sabe? Sobre nós? Sobre o que tu e eu fizemos na sexta-feira?"Eu fiquei mortificado.Eu esperava que ela não contasse a ninguém, mas também não fiquei totalmente surpreendido.Crianças, hoje em dia não entendem a discrição.

"Relaxa Grey". Claro que ela sabe. Ela é a minha BFF. Não temos segredos. Ela sabe o que eu fiz contigo e o que eu também quero fazer."

"E ela não tem problemas com isso?"Incrivelmente, deixei-a colocar a minha mão de volta dentro da blusa dela.

"Pelo contrário. Ela acha que está quente!" disse ela.Ao sentar-se ao lado dela, ela pediu-me para me sentar.Eu fiz.Ela sentou-se imediatamente no meu colo de frente para mim.Ela inclinou-se, a beijar-me nos lábios.A minha boca abriu-se e eu chupei-lhe a língua.As minhas mãos gravitavam para os seios dela enquanto ela punha a pélvis contra a minha tesão reformada.A Marnie partiu o beijo mas manteve a pressão no meu colo. "Fala-me mais de ti e da Sarah, Grey."

"Ela intimidou a maioria dos tipos da idade dela, mas aparentemente não a mim. E ela adorava que lhe lambessem a rata. Ela deixava-me fazer isso através de pelo menos dois orgasmos."A Marnie continuou a moer contra mim enquanto eu contava em grande detalhe como eu o fazia.

"E ela deixou-te fodê-la?"A Marnie perguntou enquanto desabotoava a blusa.

"Bem... Eu... hum... não, ela não o fez. Pelo menos não até estarmos noivos."Eu atravessei a minha resposta, a olhar para os peitos dela.

A Marnie sorriu, sabendo o efeito que os seus peitos nus estavam a ter em mim.Ela deu-lhes uma chávena a ambos, beliscando os mamilos proeminentes. "Então, o que fizeste para sair?"

"Acho que hoje se chama "edging"...Eu respondi. "Mais ou menos como o que me estás a fazer."Enrolei-lhe os mamilos entre os polegares e os dedos dianteiros. "Ela faria isso durante três ou quatro dias até eu lhe implorar para ser libertada. Depois ela acariciava-o até eu o vomitar onde ela quisesse."

"Como onde?", ela apertou no meu colo, tornando-me mais difícil.

"Às vezes de pé. Às vezes nas mamas dela. Onde quer que ela quisesse. Depois limpava-a com a minha língua."Ela encostou-se a mim, oferecendo um peito.Entre uma porcaria e outra, eu respondia às perguntas dela.

"Não podias ir para casa depois do teu encontro e acariciar-te? Ter algum alívio?"

"Eu fiz isso uma vez. Ela descobriu. Ela disse-me que se o voltasse a fazer, seria a última vez que lhe lamberia a rata."

A sorrir para mim, ela disse: "Queres comer a minha rata? Prometo não te fazer esperar uma semana por algum alívio."

"O prazer seria meu, Marnie."Respondi enquanto a levantava do colo e a colocava na mesa, com as pernas penduradas na borda.Levantei-lhe a saia, expondo-lhe as cuecas.Havia uma mancha escura no centro da virilha dela.Tirei-as das ancas dela, levei-as ao meu nariz e inspirei-lhe o cheiro. "Posso ficar com isto?"

"Desde que me devolvas o último par."

Eu sorri enquanto as enfiava no bolso.Começando pelos joelhos dela, beijei-me nas coxas dela, aproximando-me mais da sua cona inchada de luxúria.Senti as mãos dela na minha cabeça, puxando-me para mais perto enquanto os meus lábios encontravam os dela e a minha língua invadia o seu lugar mais privado. "Oooh! Isso sabe tão bem", ela ronronou, espalhando suas coxas.Enrolei os meus lábios à volta do clitóris dela, enchendo-o de penas com a minha língua.Ela respondeu puxando a minha cabeça, esmagando o meu nariz no emaranhado de pêlos vermelhos aparados. "Se eu soubesse que ias fazer isto, teria feito a barba esta manhã."

"Deixa sempre uma pequena prova de que o colarinho combina com as algemas".Murmurei enquanto esfregava o nariz ao longo da fenda da rata dela, seguido de vários beijos de cãozinho.

"Oh foda-se, Grey! Isto sabe tão bem."

Ela gemeu enquanto a minha língua lhe perfurava o buraco da rata e eu lhe tirava um pouco do almíscar.Ela começou a enrolar os quadris, maximizando o contacto entre a minha cara e a sua tenra cona adolescente. "Não pare! Por favor, não pares!"

Todas as categorias: Tabu