Sitemap

Navegação rápida

Eu estava cansado da cidade grande; estava cansado dos meninos pequenos que se chamavam homens.Estava na hora de uma mudança definitiva, então arrumei meu carro e me dirigi para o sul, vivendo no campo.Eu sempre vivi na cidade, e era frustrante e estressante.Eu não queria mais do que respirar, relaxar e ser eu mesmo.

Continuei a conduzir até as luzes da cidade grande ficarem muito atrás de mim.Depois de várias horas a conduzir a interestadual, decidi sair e tomar as estradas rurais.Eu precisava de estar longe do stress do trânsito.Estava a ficar tarde, e eu estava exausto.Eu entrei num motel, fui para um quarto.Destranquei a porta do meu quarto e caí na cama como um saco de batatas.Eu deixo sair um suspiro de alívio.

Acordei cedo na manhã seguinte ao perceber que tinha desmaiado de tanto cansaço.Rapidamente saltei para o chuveiro, vesti-me e atirei o cabelo para cima, saí do quarto e voltei a conduzir.Gostei o máximo que pude.Ser Verão e ter o tempo perfeito para conduzir era uma vantagem para mim.Eu sempre adorei o verão e as brisas quentes e o tempo perfeito de bronzeamento.Eu rolei pelas janelas e desfrutei dos cheiros do campo, e claro, foi um alívio não ver nada além de campos verdes e animais.Consegui sentir o stress a levantar de mim.

Depois de mais umas horas de cruzeiro, parei nesta pequena loja de campo para beber alguma coisa.George, pelo menos era isso que dizia no seu crachá, um homem idoso atrás do balcão, pareceu-me tão amigável, que lhe perguntei se conhecia algum lugar disponível para alugar na área.Ele sorriu um doce sorriso e disse que havia um quarto para alugar em uma casa de fazenda alguns quilômetros adiante.Eu agradeci-lhe e voltei para fora.

Eu dirigi por alguns quilômetros e vi o letreiro de aluguel e desci o carro e estacionei.Quando eu estava a sair do meu carro, uma mulher saiu pela porta da frente e cumprimentou-me dizendo-me que o seu nome era Lexi.Fui até ao alpendre e disse-lhe que estava interessado no quarto para alugar.Tivemos um lugar nas cadeiras do alpendre e conversamos por um bom tempo.Eu contei-lhe a minha história e o quanto precisava de uma mudança.

Ela levou-me para dentro de casa e mostrou-me a casa.Foi simples, mas lindo.Ela me levou para o quarto de hóspedes e perguntou se eu gostaria de alugá-lo.Eu disse-lhe educadamente que sim.Voltámos para o meu carro e recuperámos as minhas malas; ela ajudou-me a levá-las para o meu novo quarto.Ela me disse para desfazer as malas e relaxar um pouco; depois ela me mostrava o resto da propriedade.

Enquanto ela saía, não pude deixar de reparar como ela era bonita.Ela era um pouco mais nova do que eu.Ela tinha sido a única pessoa que eu tinha visto desde que eu tinha chegado.Eu me perguntava quem mais residia aqui na propriedade.

Eu continuei a desfazer as malas e a instalar-me.Havia uma casa de banho mesmo ao pé do meu quarto, do outro lado estava ligada a outro quarto.Eu estava curioso sobre quem dormiu lá dentro.Após cerca de uma hora, a Lexi voltou e perguntou se eu gostaria de ver o resto.Eu sorri e acenei com a cabeça sim.Nós andámos pelo resto da casa.

Quando saímos pela porta da cozinha para o pátio, havia um grande celeiro vermelho; é quase tão grande quanto a casa.As portas do celeiro não estavam abertas, por isso não consegui ver o seu interior.Andámos pelo lado de fora, enquanto contornávamos a esquina, vi os cavalos.Eles eram lindos ali de pé.Fiquei assustado quando ouvi um barulho alto vindo do celeiro.A Lexi riu-se um bocado.

Ela caminhou até a pequena porta e bateu; ela não entrou.Após um minuto, três homens razoavelmente grandes saíram.Ela apresentou-mas a mim.Estes são os meus irmãos, Dean, John, e Brian.Todos eles sorriram e me cumprimentaram.Não pude deixar de olhar para os três.Todos eram muito bonitos, e deu para perceber que se trabalhou muito na quinta.Conversamos por alguns, e eles se desculparam enquanto voltavam pela porta para o celeiro.

A Lexi e eu voltámos para casa; sentámo-nos no baloiço do alpendre a conversar e a rir. Parecia que nos dávamos bem, como se nos conhecêssemos há anos.Ela disse que tinha de começar a jantar.Eu fui com ela e ajudei a prepará-la.Depois de terminar ela caminhou para o alpendre e tocou a campainha triangular.Eu continuei a pôr a mesa de jantar.

Em poucos minutos, os irmãos dela tinham entrado e se lavaram.Quando começámos a sentar-nos para jantar, outro homem maior entrou pela porta.A Lexi saltou e deu-lhe um grande abraço enquanto ela o envolvia nos braços.Ela apresentou-o como pai; "Este é o Robert."Eu sorri e apertei-lhe a mão.Ele se lavou e se sentou conosco.Enquanto comíamos, conversamos.Ele estava curioso para saber tudo sobre mim.Contei-lhe a minha história, e ele parecia intrigado por uma rapariga da cidade grande querer estar aqui no meio do nada.

Acabámos de comer, e os homens voltaram para o celeiro.A Lexi e eu ficámos e limpámos tudo.Foi bom ter alguém por perto para conversar sobre tudo.Foi muito calmo e relaxante.Ela serviu café; fomos para o baloiço da varanda.Falámos sobre a vida dela na quinta.Ela fez perguntas sobre a vida na cidade e porque eu queria fugir.

Estava a escurecer, por isso, desculpei-me.Eu só queria um duche quente e relaxar na cama.Eu juntei o meu roupão e a minha toalha.Quando entrei no duche, a água quente pareceu-me tão reconfortante, que desceu em cascata pelo meu corpo.Parecia que eu estava lá dentro há horas.Saí para ir buscar a toalha.Fiquei assustada ao ver Brian, o mais novo dos três de pé à sua porta com a toalha.Caminhei até lá e agarrei-a enrolando-a rapidamente à minha volta.

Ele ficou lá por uns poucos e me observou, depois desapareceu no quarto dele.Eu sequei, vesti o meu roupão e sequei o meu cabelo.Eu estava pronto para entrar no meu quarto e deitar-me.Pensei para mim mesmo; eu poderia me divertir um pouco.Fui até à porta do Brian e fiquei lá à espera que ele reparasse em mim.

Ele sorriu enquanto caminhava na minha direcção.Não hesitei ao desamarrar a alça do meu manto e deixei-a cair aberta.Ele estendeu as mãos e deslizou-as dos meus quadris até aos meus seios.Ele acariciou-os e apertou-os suavemente.Saí da porta da casa de banho, acompanhei-o até à cama dele.Ansiosamente, tirei-lhe as calças e os boxers e empurrei-o para se sentar.Eu desmaiei de joelhos enquanto pegava no seu eixo duro na minha mão.Eu lambi a ponta e deixei a minha língua saboreá-lo até ao fim.Lambi lentamente o comprimento do seu pau duro enquanto o guiava para a minha boca.Eu sugei e gozei suavemente com a minha língua.Eu gemi suavemente e murmurei no seu eixo.

Ele enrolou as mãos no meu cabelo e aliviou ainda mais a minha boca nele.Eu podia senti-lo todo enquanto ele me empurrava mais para dentro da garganta.Comecei a amordaçar-me e a recuar.Ele segurou a minha cabeça e forçou a sua pila a fundo.Lágrimas formadas nos meus olhos.A saliva escorreu-me pela cara abaixo.Os seus impulsos eram mais rápidos e mais intensos.Eu podia sentir o seu corpo tenso enquanto ele me empurrava para o fundo da garganta uma última vez.O orgasmo dele explodiu, eu tentei engolir cada gota.

Ele soltou-me os cabelos, e eu levantei-me.Com um sorriso no rosto, beijei-lhe a bochecha e voltei para o meu quarto.Instalei-me na cama e dormi profundamente.Na manhã seguinte vesti-me e fui à cozinha para tomar café.Não havia ninguém por perto.Eu servi o meu café e fui para o alpendre.Sentei-me um pouco, saí do alpendre e dei uma volta pelas traseiras do celeiro.

A minha curiosidade tinha levado a melhor sobre mim, por isso fui até à porta e comecei a abri-la.Fui apanhada de surpresa quando o Dean me agarrou no ombro.

Todas as categorias: Sexo em Grupo