Sitemap

Navegação rápida

O Jack acordou na manhã seguinte com a sensação de mãos a acariciar o pescoço.Ele olhou para a escuridão das cuecas e calções da Heidi que lhe tinham tirado completamente a visão.

"Heidi?"

Não houve resposta, apenas o constante agarramento da seda e da ganga que lhe encerrou a cabeça e lhe removeu os sentidos.As roupas usadas de Heidi também limitavam o seu ar, obrigando-o a ficar quieto e a comportar-se, conservando até à última gota de ar perfumado.

As mãos estavam agora em seu peito, fazendo cócegas e provocando-o, mas com as algemas e os confins da jaula, ele era totalmente incapaz de se proteger.Jack se esforçou para ouvir os pés descalços, deixando-o mais uma vez em seu mundo isolado.

"Heidi?"

As mãos voltaram e desta vez alcançaram o cadeado que foi enfiado através dos cintos dos calções de ganga curtos que o tinham feito refém toda a noite.Um pequeno clique e os calções foram finalmente desbloqueados e o material macio e húmido foi removido à volta da sua cabeça.Um segundo depois e as calcinhas usadas da Heidi também foram arrancadas, o tecido sedoso úmido deles descascando do rosto dele.

"Eu deixei-te sair dos meus calções... mas posso facilmente voltar a pôr-te lá dentro."Havia uma vantagem na voz da Heidi.

Jack virou o seu corpo dolorido para olhar através das barras da pequena jaula trancada.A Heidi parecia diferente.A jovem magra parecia intimidante enquanto rondava o seu quarto com camiseta branca e calcinha rendada branca.

"Acho que está na hora de sair desta jaula", gaguejava, puxando inutilmente os pulsos que estavam algemados à volta das barras da jaula.

"A vida não é só sobre o que tu queres Jack."

Ela nunca o tinha enfrentado antes e isso assustou-a.

"Estás bem?", perguntou ele.

A expressão da Heidi foi uma mistura de raiva e frustração. "Pediste-me para te prender para poderes viver uma fantasia e agora estás a dizer-me para te deixar ir?"Heidi andava para trás e para a frente, elevando-se acima da sua pequena jaula, "E o que eu quero?"

"O que você quer?"O Jack perguntou, o seu corpo dorido a tentar desesperadamente desbloquear a mente desta mulher.

Ele tentou sentar-se tão alto quanto a jaula permitia, mas mesmo assim a sua cabeça mal estava acima dos joelhos dela.Com Heidi de pé perto da gaiola, suas pernas torneadas e seu corpo esbelto mal revestido subiram imponentes acima dele.Foi uma posição terrível de onde negociar, piorou ainda mais quando Heidi se virou e sentou-se acima de sua cabeça.

A Heidi estava a debater-se com as suas emoções.No início, o pedido perverso do ex-chefe a intrigou, mas as mensagens de texto de outra mulher que ela acabara de ler no telefone de Jack deixaram claro que esses jogos não a aproximariam mais do homem com quem ela havia sonhado por tantos anos.Seus largos olhos sonhadores estavam lutando entre excitação e raiva, e mais uma vez ela estava se sentindo usada.

O que ela realmente queria era o Jack, mas se isso não fosse possível, talvez ela pudesse avançar com a situação e fazer algo mais que lhe tivesse passado pela cabeça em muitos dias lentos no escritório.Se ele estava a viver as suas fantasias, então porque não o faria ela?

"O que eu quero?", repetiu ela.

Heidi levantou-se e caminhou nervosamente para a gaveta da roupa interior para recuperar a chave.Ela podia ver os seus lindos olhos dispostos a empurrar a chave para o cadeado, a sua total atenção lembrando-a do poder que ela tinha sobre ele.Se ela e a chave desaparecessem, ele estava fodido.

Ela destrancou o cadeado e carregou as pesadas barras de aço.Jack contorceu o seu corpo numa tentativa de sair, mas como as suas mãos ainda estavam algemadas às barras, ele só conseguia levantar a cabeça através da abertura.

"Talvez eu queira isto..."Heidi disse enquanto colocava algumas almofadas à volta da abertura da jaula, ajoelhava-se sobre elas e sentava-se de novo nas suas assombrações.O seu rabo redondo estava agora empoleirado mesmo por cima da jaula, o seu corpo anseia pela atenção do Jack antes de ter de o deixar ir.Ela olhou para a cabeça do Jack que estava aparentemente anã entre as coxas abertas.

"Queres sexo oral?"O Jack perguntou.

"Vai-te foder Jack, porque não haveria de o fazer?" ela passou-se.

"Hey Heidi...."

"Porque não posso viver as minhas fantasias também?"

Jack já estava dominado pelo cheiro e calor do corpo de Heidi, aproveitando sua primeira oportunidade de beijar suas coxas sem que barras de aço pesadas as separassem.Heidi sentou-se imóvel acima dele, observando impacientemente, esperando que ele se movesse mais profundamente entre as pernas dela.Ela baralhou um pouco para a frente até os lábios do Jack estarem a beijar a distância da sua lingerie rendada.

Heidi ficou envergonhada e sentiu o calor no rosto, mas mesmo assim manteve as calcinhas empurradas contra o rosto dele.

"Porque raio pode um tipo fazer o que quer, mas uma mulher..."

"Está tudo bem", a voz dele foi suave ao interrompê-la, "Queria fazer-te isto desde que me trancaste aqui dentro."

Jack esperou para se certificar de que ela tinha terminado e depois gentilmente a beijou, mal fazendo contato, mas o fogo já estava pulsando através do corpo de Heidi.Quando o fogo chegou à boca dela, ela gritou.Ela estava quase tremendo enquanto os lábios dele circulavam a vagina dela, novamente com um toque tão suave que mal havia contato.A sua língua aventurou-se mais profunda, lenta e ternamente e Heidi teve que agarrar a cabeça para se segurar com firmeza.

Ela atingiu o clímax e gritou.

"Foda-se"...Heidi respirou num sussurro husky mal audível.

As pernas da Heidi fecharam-se, as coxas dela apertadas à volta do pescoço dele.O seu corpo trémulo tinha-o trancado num punho de vítima, dificultando a respiração.Com o ar dele a ficar baixo, ela finalmente abriu as pernas, com a pele a transpirar a descascar para longe do rosto dele.

Os lábios do Jack recuaram até ao clitóris, lambendo e respirando ar quente contra o seu corpo trémulo.

"Acho que isto pode ser as nossas duas fantasias", ele desistiu.

A Heidi olhou para baixo e sorriu.

"Só tinhas de perguntar."

Heidi subiu da jaula e balançou a pesada porta gradeada até que ela descansou sobre a cabeça de Jack.A sensação e o gosto do corpo de Heidi o tinha mantido no limite, prolongando um incrível sentimento sexual que pulsou através dele, ainda que seu corpo estivesse em agonia, incapaz de esticar e aliviar seus músculos doloridos.

"Se não baixares a cabeça, eu sento-me na tampa."Heidi sussurrou rouco.

O Jack engoliu na sua garganta seca.Ele não queria arruinar o momento da Heidi e amassou tanto o seu corpo dolorido de volta para dentro da jaula.Ele estava desesperado para fazer amor com ela, mas isso agora parecia uma impossibilidade enquanto a porta da jaula se agarrava a ele e Heidi se sentava em cima dela.

Ele queria pedir-lhe para fazer amor, mas lembrou-se do que ela tinha dito sobre tirar proveito.Ele torceu seu corpo para que pudesse beijar seu traseiro na vaga esperança de que ela pudesse mudar de idéia.Ela não o fez.Ele ainda estava beijando ao longo da linha das calcinhas dela, tentando se aproximar do clitóris dela, quando Heidi trancou o cadeado.

"Era isso que você queria?"O Jack perguntou esperançosamente, olhando para o rabo rendilhado dela.

Heidi não respondeu, mas em vez disso empurrou os pés através das barras e fechou-os à volta da pila erecta do Jack.Ela enrolou os dedos dos pés e apertou.As mãos acorrentadas e o corpo dolorido de Jack eram impotentes para detê-la enquanto ela corria as solas para trás e para a frente, rolando o pénis indefeso dele entre eles.Ela sentiu a gaiola a vibrar enquanto ele trepava na sua cela cruelmente restritiva.

Ela levantou-se e esticou os braços acima dela, arquear as costas e ficar de pé na ponta dos pés.Isso tinha sido fantástico, mas não mudou nada.Ela esticou-se para pegar no telefone do Jack e deixou-o cair ao alcance das mãos algemadas dele.

"É melhor responderes à Lisa", suspirou ela.

Jack pôde ler o desapontamento na expressão de Heidi, sua beicinha e seus olhos que brilhavam com a umidade.Sem sequer ler as suas mensagens, ele atirou o telefone para o outro lado do quarto e fora do seu alcance.

A Heidi usou os seus pés descalços para chutar o telefone de volta para a jaula.

"Está tudo bem, eu ainda te destranco", suspirou ela.

Jack estava aborrecido consigo mesmo; ele não pretendia que este pequeno jogo perverso levasse a Heidi.Ele detestava vê-la a sofrer.Ele sempre tinha usado sua posição na empresa para cuidar dela e agora ela estava quase em lágrimas.Ele também ficou surpreendido com o quanto gostava de estar na gaiola dela.A Heidi parecia tão sexy.

"Ela quer ver-te hoje à noite."Heidi persistiu, chutando seu telefone de volta ao alcance.

"Você pode me impedir".Jack respondeu ofegante.

"Não pense que posso confiar numa gaiola para manter um homem."

Heidi empoleirou-se na borda da jaula e olhou para o louco trancado por baixo dela.Ele estava a olhar para ela e ainda parecia estar com intenção de lhe beijar o rabo.

"Achas que me podias encolher e pôr-me nas tuas calças?"Jack sorriu, agora totalmente apaixonado pela mulher sentada por cima dele.

"Você é louca!" ela respondeu, embora o próprio pensamento lhe tenha feito surgir um sorriso nos lábios.

"Bem, então é bom que me tenhas prendido."

A Heidi riu-se.

"Tens mesmo a certeza?", perguntou ele outra vez.

A Heidi fez uma pausa e brincou com o cabelo enquanto pensava: "O que farias nas minhas cuecas?"

"Mmm... Acho que eu ficaria lá por um tempo".O Jack respirou, totalmente perdido no momento.

"Não haveria fuga possível!"

"Está bem... Lá dentro para toda a vida..."

Heidi baralhou para trás e abriu as pernas para olhar melhor para o cara que agora estava tentando empurrar o rosto para cima através das barras, com o aço correndo pelas bochechas.

"Bem, tenho a certeza que te posso agradar."Jack continuou.

"A tua vida dependeria disso..."

Heidi estava agora se acariciando estranhamente à vontade masturbando-se na frente de seu ex-chefe.O toque dela foi agradável, mas só pôde levá-la tão longe.Entretanto, Jack estava novamente lutando contra as algemas; tentando tudo o que podia para se aproximar do seu corpo trêmulo.

"Vou tomar banho", disse ela simplesmente enquanto esticava o corpo com a chave e se afastava para o chuveiro.

Quando ela terminou de tomar banho, Heidi voltou ao seu quarto ainda completamente nua.Uma combinação de excitação e ressentimento significava que ela não se importava mais com o que Jack pensava dela.Ela então vestia um pálido vestido florido de verão, que não usava há anos.Era muito curto e muito apertado e exigia mais autoconfiança do que a Heidi alguma vez teve.

Ela emparelhou-a com cuecas de tarte amarelas apertadas com renda em cima e em baixo.Roupa interior desenhada para o espectáculo, uma vez que foi cortada em volta das nádegas e foi moldada para desaparecer profundamente entre as suas bochechas.Com o material aninhado no seu lugar, ela pousou na borda da jaula do Jack e escovou lentamente o seu longo cabelo húmido.

"Eu provavelmente também preciso de um duche".A voz profunda do Jack parecia ressoar por baixo dela.

Heidi não respondeu, esperando adiar o tempo inevitável quando ela o soltou e o viu fugir para Lisa ou para quem quer que fosse o próximo.

Ele empurrou para cima na porta da jaula trancada que agora estava sendo mantida fechada tanto pelo cadeado quanto pelo fundo da Heidi.Os dedos dele empurraram através das barras, massajando gentilmente a parte de trás das coxas dela.

Sempre tão lentamente, a Heidi levantou-se e recuperou a chave do cadeado único.Ela abriu a fechadura e ficou desanimada enquanto Jack saía e coxeava para o banheiro.Ele tomou banho e se vestiu e estava enviando uma mensagem enquanto Heidi retornava.

Sentindo-se como um rapazinho que tinha sido apanhado a portar-se mal, Jack parou imediatamente de escrever e escondeu o telefone nas suas costas.

O coração de Heidi afundou como qualquer pequena chance de ele não querer que Lisa se evaporasse em um instante.De uma forma estranha ela também se sentiu zangada por ele ter violado o corpo dela, mesmo que ela o tivesse forçado a descer sobre ela.O sacana estava agora a ver o cabelo dele no espelho.

"Volta para a gaiola".A Heidi passou-se, o ressentimento a crescer por dentro.

"O quê?"Jack ficou em estado de choque.

"Mudei de ideias", ela tentou parecer confiante, mas tremia: "E presumo que não queiras que o mundo veja as fotografias que tirei?"

Jack ergueu as mãos em rendição, mas ficou demasiado chocado para se mexer.

"Agora!"A Heidi chorou.

"Está bem", ele sussurrou enquanto se começava a despir.

Porque é que ele estava a fazer isso?Ela não lhe tinha pedido para se despir.O tipo lindo estava agora completamente nu outra vez e a subir de volta para dentro da gaiola.Heidi tremia, a falsa prisão era um crime e a chantagem era um jogo perigoso de se jogar.Mais uma vez ela estava confusa, sua obediência e o olhar em seus grandes olhos marrons tinham mais uma vez despojado sua raiva.

Ela sentia-se quente e estava grata pela humidade do seu cabelo húmido que estava a infiltrar-se no seu vestido.Ela teve de seguir em frente.Heidi bateu na tampa da jaula e trancou-a mais uma vez com o cadeado.A liberdade do Jack tinha durado menos de dez minutos.

"Porque te despiste", gritou ela, "Não vou dormir contigo!"

"Desculpa, pensei que era isso que querias."

"Quero-te fechado na gaiola!"

"Eu sou..."

Heidi foi surpreendida pela sua reacção, pelas suas palavras gentis e pelos seus olhos adoradores.Porque é que ele não estava a gritar de volta ou a ameaçá-la?A chave do cadeado estava entre os dedos dela, mas ela parecia não saber o que fazer com ela.

"Guarda isso".Jack sussurrou, olhando para a chave, "Eu não quero".

Heidi abriu os seus lábios largos pintados para gritar com ele, mas depois parou.Quando ela finalmente falou, foi num sussurro de confusão: "Para onde estás a levar a Lisa?"

O Jack usou os olhos dele para lhe dar permissão para verificar o telefone dele.

Ela sentou-se na cama, a cheirar as lágrimas enquanto lia os textos dele.Jack tinha recusado Lisa, uma decisão que Lisa não tinha tomado bem, especialmente quando ele tinha dito a Lisa que estava com a 'Heidi'.A Lisa tinha sido abandonada pela Heidi!Ela desligou o telefone e colocou-o cuidadosamente no casaco do Jack.

"Desculpa", ela farejou.

"Não estou", ele sorriu. "Gostaria de jantar hoje à noite?"

"Talvez", respondeu ela, um sorriso nervoso nos lábios.

Jack virou-se para ver a mulher que estava mais uma vez sentada no topo da jaula e gritou de dor enquanto se batia mais uma vez contra as barras imperdoáveis.

"Deves pensar que sou maluco."Heidi disse nervosamente, um sorriso falso na cara dela.

"Eu adoro loucuras."

"Oh meu Deus, é melhor deixar-te sair", exclamou Heidi de repente.

"Sem pressa... o restaurante não estará aberto até esta noite."

"Queres ficar aí dentro?"Heidi exclamou, nervosamente pendurando o cabelo de volta por cima de uma orelha.

"Posso ter 'mijado' a Heidi por um pouco mais de tempo?"

"Ela foi-se".A Heidi sorriu: "Mas a Heidi normal pode manter-te preso o tempo que quiseres."

Heidi tinha baralhado para trás na jaula, seu vestido curto tinha subido e ela estava olhando para ele através de suas coxas abertas.Os dedos dela estavam escovando inadvertidamente contra as coxas que estavam empoleiradas na abertura, intimidando e imobilizando-a.

"Acho que também queres que eu fique aqui."Jack respondeu, tentando alcançar o que podia do corpo dela.

"Isso seria mau e cruel..."A Heidi riu-se.

"Sim."

Ela sorriu e acenou lentamente enquanto se levantava para sair.O seu vestido curto e pálido voltou a cair no lugar, mas da posição do Jack não escondeu nada da vista.

"A etiqueta na sua roupa interior está a aparecer,"Jack observou, deitado de costas e a desfrutar da visão do seu carcereiro mal vestido.

A roupa íntima de Heidi também tinha subido ainda mais entre as bochechas e ela se aproximou para que Jack pudesse alcançar através das barras.Ele empurrou a pequena etiqueta para dentro e depois endireitou a lingerie nos quadris dela.

A sensação de poder enquanto o seu ex-chefe amacia amorosamente a sua roupa interior e depois o seu vestido era quase indescritível e ela apenas esperava, apreciando o seu toque.

"Obrigado", disse ela com olhos brilhantes ao pisar em alguns saltos e sair para um café muito necessário com suas namoradas.

A Heidi fechou e trancou a porta do quarto, deixando o Jack sozinho na gaiola pequena.O ar estava parado e escuro e cheio do cheiro da Heidi.O cadeado que trancava a jaula estava pendurado por cima do corpo confinado do Jack.Normalmente prendeu a bicicleta da Heidi, mas agora prendeu-o.O Jack era apenas uma das posses da Heidi, debaixo da fechadura e da chave dela, até ela decidir o contrário.

Todas as categorias: BDSM